Como Fazer Pequenos Negócios No Facebook 2

Como Fazer Pequenos Negócios No Facebook

Marta Matencio e Saskia Olhou precisavam de dinheiro. Justo se finalizaram de se variar e a amplo quantidade de roupas que entre as duas somavam tinha saído à claridade. E se a vendiam? Sim, essa pode ser uma interessante solução. A próxima pergunta que surgiu foi: E a resposta veio naquela mesma tarde: vamos tentar vendê-la pelo Facebook.

A barcelona Patricia Sevilha (1986) leva bastante tempo fazendo os seus próprios colares. Outro modelo é o de Javier Parra (1983), a espanha estabeleceu-se em Barcelona, que colocou em marcha Vintage e Mais o passado mês de novembro, perto com dois colegas. Tudo começou por causa de eles queriam vender roupas que não usavam a web, e quando explicaram aos seus conhecidos constataram que eles, assim como lhes interessava. Assim que resolveram se encarregar de vender a roupa de seus amigos e receber uma porcentagem.

Hoje, compram o que a gente não utiliza e vendê-lo em sua página de Facebook. Um caminho distinto seguiu Anita Singers pra surgir a afirmar o teu baixo negócio pela mídia social. Ana (1982) é uma mulher colombiana especializada em alta pela moda. Levava 7 anos trabalhando em Madrid, quando começou a desenhar vestidos inspirados nos anos 50, perto com uma companheira. Eles entraram no Facebook para pendurar as fotos de o que faziam, sem outra meta que compartilhá-lo.

  • Qual o papel da Internet na música atualmente? Saudações do Valencia
  • 6 Atualização de janeiro de 2016
  • Orientar: Orientar o paradigma de negócio de acordo com os novos factos
  • Comae (discussão) 19:00 4 fev, 2005 (CET)
  • É um software open source, com uma vasto comunidade que entusiasma o teu desenvolvimento e melhoria
  • “Eu Vou Pa’ Moron”

“. As razões de Anita Singers não contradizem as do resto: “Você impede as complicações de abrir uma loja e constituirte como corporação, você pode administrar tudo a partir de casa e comprar actividade permanente e respostas imediatas”. Mas apesar de todas as vantagens que fornece Facebook, para todos os negócios da página web própria é o próximo passo, em razão de quando o quantidade de vendas aumenta, gerenciar o funcionamento de uma loja na rede social custa.

Um site próprio facilitaria essa gestão, e até mesmo daria a circunstância de a marca de abrir com mais força internacionalmente, um objetivo que a Lua de Marte tem em mente. E é que diversas dessas iniciativas conseguiram não só vender por todo o país, porém assim como fora. Um dos pontos discordantes dessa técnica é a maneira de transportar a cabo a reserva do produto. Tendo como exemplo: Lua de Marte vende roupas de segunda mão recolha de diferentes lugares -lugares que não desejam propagar tudo, porém se intuyen mercados e viagens pela Europa-, pelo que têm só um exemplar de cada peça.

Isso pode gerar conflitos sobre isso quem é a primeira amizade-freguês que fez a reserva, se não se define muito do mesmo jeito que proceder. “A raiz de uma luta entre dois clientes, decidimos que as reservas se deviam fazer por mensagem privada contam Marta e Saskia-, e não dizendo a imagem da peça como costumava fazer as pessoas de modo intuitiva.” E eu, como faço? Começar a vender no Facebook não tem grandes segredos, no entanto, como tudo na existência, requer dedicação e entusiasmo pra seguir adiante. O primeiro passo que precisa ser feito é, logicamente, a abertura de uma nova conta na rede social.

O nome que será dado é considerável, como em qualquer marca, do mesmo modo a imagem de perfil, que, por esse caso, seria o equivalente ao logotipo. O segundo passo é subir boas fotos de produtos que estão a vender. Aqui a imagem é o objeto, deste modo que a imagem é meio negócio.

Obter amigos-freguêses. Os primeiros amigos são os amigos de verdade, e os famosos. A partir daí, o boca-a-boca e a meio ambiente viral da rede fazem o resto. Embora sempre se pode animar com instituídas ações. No começo, a Lua de Marte incluía cartões em suas ordens e regalava bolsas de tecido com o seu logotipo, por vendas superiores a 30 euros, como por exemplo.

O quarto passo é oferecer produto com periodicidade, de forma que as amizades-clientes vejam que a atividade e a oferta é estável. Senhorita Esferas de Lua e de Marte trabalham com coleções. A primeira levanta uma coleção a cada três ou quatro meses, muitas com motivos como Natal ou dia dos Namorados. Lua de Marte, em contrapartida, é mais ativa e sobe uma coleção quase semanalmente com 20 peças de vestuário.

“Nunca se acaba tudo -contam Marta e Saskia-, no entanto com os restos das coleções fazemos saldos a qualquer um ou 2 meses”. O quinto e último passo é o da participação. Há que manter viva a conta, transformando-a em uma extensão da personalidade da marca, pois que isso é o que é Facebook, uma extensão dos gostos de seus usuários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima