Para Todos Os Outros É Sopitas 2

Para Todos Os Outros É Sopitas

Se chama Francisco Alanis, contudo desse jeito só lhe diz a sua mãe. Para todos os outros é Sopitas, um surfista de Internet -amador a botar queijo pra todos – que soube aproveitar a legal onda da dica digital e conseguiu montar um dos portais mais bem posicionados na internet. Diz que é apenas um “cara muito sortudo” e se autodefine como “um bem-sucedido caso de bullying”.

Qual a incrível descrição pra alguém que soube usufruir os seus dificuldades de ceceio pra gerar uma marca pessoal, que lhe abriu as portas de inmensuráveis meios, como opinador e showman. Conta com quase 3 milhões de seguidores no Twitter. Em um Internet sem Facebook, os blogs ocupavam o superior protagonismo na rede e Alanis soube oferecer às pessoas o que queria ler. “Se você gosta de o esporte, a música e as notícias, todavia não quer clavarte ao partido dos noticiários e os jornais, é possível que o web site seja por você”, diz o internauta com um gigantesco sorriso, uma coisa que lhe caracteriza.

Sopitas é um tipo feliz com o que faz e demonstra isto a cada pergunta. Quem estranha este característico som que fazia com o telefone quando você se você se usou conectar à web? “Para mim vem sendo um estímulo de saber lidar, entender a gerir equipamentos, pessoas com cargos. Vem sendo um aprendizado permanente”, comenta Sopitas enquanto complementa que não tem metas de progresso e não entende para onde evoluir o web site os próximos 5 anos. “Façamos o que nos agrada, pasémosla bem. Nos leia um ou nos leiam vinte”, diz Alanis.

“Para mim o desafio e o sucesso, é sobreviver em um ecossistema tão devastado”. Nem parece que se preocupar com o muito que se esgotem as redes sociais, como as entendemos hoje. “A dúvida é se podes haver sem o Facebook. Conversando com colegas de outros meios, que levavam anos a investir todo o teu dinheiro no Facebook e, de repente, mudaram o algoritmo e tiveram que começar a fazer filmes no Youtube, a título de exemplo”, explica.

“Não depende de uma conexão, porém de outras plataformas pra saber se existe ou não e me parece assustador”. Sua experiência é que a rede, tudo muda a uma amplo velocidade e não há que ter pânico das transformações que sofre. “Nós aprendemos a não correr, sair primeiro com uma informação não é importante. Aprendemos a analisar fontes e sugestões, mais em tempos eleitorais”, explica Francisco.

“Criamos uma equipe de 4 pessoas focadas em averiguar a informação e nos somamos à iniciativa Verificado contribuindo com o nosso grão de areia”. Que tal o que estão fazendo com os candidatos nas redes sociais? “Eu vejo muito longínquo. Estão por causa de têm que estar e acreditam que irão receber popularidade de forma automática, no entanto não acho que tenham uma estratégia.

  1. marca nomeou mais de 380.000 vezes nas mídias sociais
  2. Estes são os piores aeroportos da Europa
  3. andrew wilshere se une à incerteza de Cesc e Song, contra o Barcelona; Walcott e Van Persie são de baixa
  4. 1 Pedro Oliva
  5. 5 Produção 5.1 Desenvolvimento
  6. Rushkoff, D. Média Vírus. New York: Ballantine – 1994
  7. torná-los fiéis à tua marca
  8. 3 Como se mede

Só pensam que ganhar em redes é ser trending topic”, responde. Os candidatos estão focados em fazer campanha como toda a vida. Por que não está calculado um debate a respeito as plataformas digitais? O Que representa uma audiência de 50 centenas de pessoas no México, apesar da brecha digital. Em vez de demonstrar ” ok, vamos construir infra-infraestrutura.

Ouvir os spots da campanha e continuam citando, ‘você deve jogar pra frente e vamos conceder dinheiro para que você colocar o teu negócio’ e você pensa ‘cara, o negócio que executam as pessoas na sua moradia. Coloque tecnologia, coloque infra-infraestrutura’. Afinal de contas, a Internet nasceu pra aproximar as pessoas e o fácil evento de não se aproximar de nós é desperdiçar o que você tem”, complementa Alanis. As conversas políticas na Internet bem como critica as discussões estéreis sobre qual candidato votar, uma coisa que considera “uma escolha muito pessoal” e onde “você terminar enfrentado” os amigos que pensam diferente. “Votes quem votes, há coisas mais essenciais que você deve no nação. Além de se vamos ser a Venezuela ou a Dinamarca. Por que não somos México e vemos que o México precisa? “, diz no tempo em que não perde o sorriso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima