Por Que Frida Kahlo Não Deveria Ser Um Ícone Feminista? 2

Por Que Frida Kahlo Não Deveria Ser Um Ícone Feminista?

Era uniceja, andrógina, deficiente e comunista. Frida Kahlo não se assemelhava em nada ao que seria um ícone da moda convencional do século XX. Mas o foi em sua época e continua sendo sessenta e três anos depois de tua morte. Sua vida intensa e desolado contrastava com a energia e expressividade que caia tuas obras.

A artista mexicana é lembrada -entre novas coisas – pelos seus auto-retratos e, por seu caráter potente e auto-suficiente, um aspecto que lhe valeu bem como a categoria de símbolo feminista. Que o seja realmente é outro questão. Ela representou um novo cânone estético, o da mulher com traços masculinos -exageradas suas sobrancelhas e deixava-bigode-, uma ambigüidade estética que hoje se conhece como frutas. Muitos diziam que era uma adiantada para a época. Tornou-se um ícone pop, é fácil notar-se identificado com ela e em razão de autoproclamarse feminista está em alta, nada melhor do que utilizar a Frida como emblema. Uma moda que não tem feito mais do que confundir e sujar-lhe a verdadeira história da mexicana.

o Era Frida Kahlo feminista? O Ser andrógino significa ser feminista? Cristina Kahlo, fotógrafa e sobrinha neta de Frida, confessou numa de suas últimas exposições fotográficas que “Frida Kahlo é um ícone do feminismo por meio do livro biográfico que escreveu Hayden Herrera, Frida A biography of Frida Kahlo. Foram as mulheres chicanas em EU as primeiras em tomá-la como um estandarte do feminismo”. Mas essa mulher potente, independente e fiel a alguns valores se apaga, no momento em que entra em jogo o teu extenso afeto, de Diego Rivera. Apesar das infidelidades e o abuso psicológico -uma vez que lhe foi infiel com sua irmã-, ela lhe perdoava uma e mais uma vez.

Kahlo defendia que mantinham uma ligação aberta, entretanto com apoio nas cartas que ela escrevia, parecia mais uma conduta de resignação por pavor de perder para sempre. Esta incapacidade de se tirar da pessoa que lhe fazia dano refletiu-se nas cartas particulares, que publicou o famoso livro ‘Nunca te esquecerei, Frida Kahlo’. Você descobre que eu encabroné por Cristina, porém hoje tenho de confesarte que não foi por ela, foi por mim e para você, primeiro por mim, em razão de nunca pude compreender o

“Porque não nos tornemos idiotas Diego, eu tudo humanamente possível se o di e o sabemos, nesta ocasião, como ele faz pra conquistar tanta mulher se você está tão feioso filho de chingada”. Se é verdade que a passagem do tempo acaba por abalar as histórias, o marketing se dedica a simplificar as coisas. Daí que a publicidade e a indústria da moda tenham retirado a imagem de Frida, uma e outra vez.

Alessandro Michele, diretor criativo da Gucci, é embriagó de tua essência e a incorporaram na sua coleção outono/inverno 2017. Cores fortes, estampas de flores gigantescas e vestidos que recriam a indumentária habitual mexicana. As flores, as rendas e os ares indígenas de Dolce&Gabbana assim como prestam uma homenagem à extenso artista do século XX. Demna Gvasalia, o criativo mais muito bom do momento, prontamente navegou em que os arquivos e as infinitas camadas e os mini vestidos de linha que desenvolveu para a Balenciaga comprobatórios.

assim como Não é coincidência que um dos museus mais respeitáveis do Reino Unido, o V&A, lhe dedique uma apresentação, que será exposto boa porção da indumentária da revolucionária. Esta será a primeira vez que essas associações saem Da Casa Azul do México, o museu de Frida Kahlo.

  • Registado em: 22 fev 2007
  • JIM: “Foi um combate peculiar de fim de temporada”
  • Maldonado: “Ultrapassar em Mônaco é difícil e arriscado”
  • Falsa Mulher

A artista bem como esteve na boca de todos há pouco menos de um mês, no momento em que Theresa May, líder do Partido Conservador, decidiu transportar um bracelete composto de pequenas fotografias e os auto-retratos seus, no congresso anual do partido, em Manchester. Um acessório que gerou muita controvérsia, posto que se descobre o ponto oposto do espectro político, da primeira-ministra.

O video adquiriu incontáveis prêmios, entre eles o Oscar de melhor video. Nesse mesmo ano, realizou umas cenas pro video Thrashin’, porém foi demitido após imensos desentendimentos com o produtor. Além do mais, atuou no curta-metragem R. P. G. o papel de Vinnie Dooler e no telefilme Slow Burn como Donnie Fleischer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima