Uma Tempestade Perfeita Para Empreendedores 2

Uma Tempestade Perfeita Para Empreendedores

Fui empreendedor aproximadamente toda a minha vida profissional e há mais de 15 anos que formei minha primeira organização. Iniciei, em choque, quando, na Espanha, os termos startup e “venture capital” estavam fora do vocabulário dos jovens, das organizações, das universidades. Ou de minha família. Justo agora, há alguns meses, deixei de sê-lo pra ir para o outro lado, a enorme corporação.

E aqui vejo com percepção que este é o incrível momento para ser um empreendedor de toda a nossa história recente. O empreendimento é neste momento uma opção muito válida, ainda complexa, porém bem visibilidade, mais fácil e, por que não, muito mais “cool”. Isso sim, empreender é um caminho complexo e árduo, que necessita de paixão, entendimento e sorte em partes iguais.

Hoje, as administrações têm para os empreendedores, em sua agenda, ao menos em suas grandes proprietários. Mas resta saber a letra pequena das medidas e que vão suceder, é de afirmar que o presidente do Governo ter fechado o South Summit compartilhando de Portugal como uma “startup nation”.

  • Capítulo 4×213 (938) – “Fuga À Meia-noite”
  • Há proveitos fiscais pra estrangeiros que irão trabalhar para os EUA
  • Eu li que em Portugal irão converter alguns locais no café%Tapas, por que? onde
  • Corrige os livros de contabilidade. Tenha registado todo o dinheiro que entra e sai do negócio
  • Capítulo 4×078 (803) – “Dança De Casais”
  • cinco – Pratos elaborados por você

, E as empresas como a Telefônica -e diversas algumas – os apoiam os juntam e se concentrar menos no show e mais na criação de negócios em conjunto. O talento e a disrupção tecnológica acham-se imediatamente em todas as partes. Incubadoras, aceleradoras, “business angels”, fundos, empresários e governos, todos entenderam que a reinvenção perpétua é o único caminho. Como mostra o autêntico festival do empreendedorismo e inovação que tem sido Madrid, esta semana, com a realização de encontros cada vez mais calado como In3 e o referido South Summit, o mais massivo e bem sucedido até nesta hora. O financiamento, a toda a hora difícil, começa a ser mais acessível para os bons projetos.

As fronteiras geográficas são diluídos e as startup têm acesso a perfis com experiência global de outros países, no entanto carecemos atraí-los com mais do que o sol, recuo e praia. E, pouco a insuficiente, se criam conexões com outros grandes centros de empreendedorismo, além dos clássicos como o Silicon Valley ou de Israel.

Os ecossistemas empreendedores vivem ciclos de avanço e maturação de cerca de cinco anos, mimetizando o nascimento, fabricação e venda de seus startup. E cada vez que termina um, o seguinte é mais potente, com empreendedores experientes, mais fundos e talentos que são capazes de levar empresas à escala. Precisamos ter paciência, sabendo que os Estados unidos nos leva mais de 10 ciclos de vantagem, porém estamos reduzindo a distância no caminho direito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima